Cantinho da Criança

A caixa de Lápis de cor – Estória Infantil (A vaidade)

O Pastorzinho Beijamim – Peça Infantil (Altruísmo)

Florzinha Egoísta – Estória Infantil e Áudio (Egoísmo)  

 

 

A CAIXA DE LÁPIS DE COR

O CONCURSO DAS CORES  (TEMA: VAIDADE)

Em uma loja que vendia materiais de pintura e desenho, na prateleira onde estavam várias caixas de lápis de cor, haviam vários lápis que estavam conversando fora da caixa, o que eles estavam conversando tão animadamente? Será que eles  queriam pintar juntos um grande desenho? Ou eles achavam que suas pontas estavam pequenas? É isso que vamos descobrir agora…

Venham Venham,  eu proponho que façamos um concurso para sabermos qual a cor mais bonita de uma caixa de lápis de cor!!!Dizia o lápis vermelho entusiasmado.

Logo ao se aproximarem, as outras cores, gostaram da idéia e disseram:

-Sim um concurso de beleza – disse o Azul.

-E qual será o prêmio? Perguntou o amarelo curioso.

-Não existirá prêmio, mas as três cores que ficarem em últimos lugares, serão retiradas das caixas de lápis de cor de todo o mundo, dizia o vermelho, com um estranho brilho no olhar.

Mas delicado como sempre, o lápis rosa, argumentou.

-Mas coitadinhas delas, nunca mais elas estarão conosco?

-Estas são as regras, o concurso não é de beleza? Disse o lápis vermelho haver

Num canto da loja 3 lápis conversavam entre si tristemente, vcs ouviram? Disse o lápis preto.

– Haverá um concurso de beleza entre nós! Disse o lápis cinza.

-O lápis branco, o  mais compreensivos  disse: Tenhamos calma, aguardemos os acontecimentos.

No dia da organização, estavam todos eles reunidos para a divulgação do concurso e a escolha dos jurados.

O Azul disse: Eu acho que devemos chamar o papel ofício, Dona Cartolina e Madame tela, para serem os jurados.

O lápis verde entusiasmado sorriu e falou: ótimo que boa idéia.

O  Lápis Laranja diz: Temos que fazer divulgação, Que tal a internet?

Mas qual seria o nome do concurso, perguntou o lápis roxo?

O lápis vermelho antecipando,  diz:  já sei , Concurso de beleza arco-íris.

Todos concordaram alegres.

 

O lápis vermelho distribuindo as tarefas para todos. Começa falando para o laranja:

-Mande e-mail para todas as caixas  de lápis de cor do mundo;Lápis verde,  fale com o papel ofício, dona Cartolina e Madame tela.

-E o lápis cinza e preto, disseram: e nós, o que faremos?

-Vocês bem, façam uma faxina na loja para recebermos a todos, disse o vermelho apontando as vassouras e a lata de lixo.

O lápis branco ouvindo isso começou a entender o verdadeiro sentido daquele concurso.

Tomadas todas as providências feita a divulgação chegou enfim o grande dia, o concurso foi marcado para acontecer à noite hora em que a loja estava fechada e sem clientes, os lápis fizeram suas pontas para que ficassem perfeitas, o concurso foi avaliado em três etapas: melhor qualidade de madeira do lápis, melhor ponta de lápis, e o item mais importante: a cor mais bonita após ter sido feito, por cada lápis um desenho de uma flor. E ao final do concurso na entrega dos resultados, todos os vencedores farão juntos um grande arco-íris, menos os três últimos colocados.

Começa o concurso, cada lápis de esforça no seu desenho para fazer a flor mais bonita.

Pronto, Todos acabam e começa a avaliação dos jurados. E vieram as notas, 10, 4, 9, 7,2,5.

Um dos jurados anuncia:

-Terceiro lugar: lápis Amarelo,lápis amarelo emocionado em lágrimas vem a frente, Segundo lugar: lápis azul, vem o feliz lápis azul brilhante como um céu. E em primeiríssimo lugar…., neste momento as canetas batem nas caixas como se estivessem batendo em tambores, o vencedor é o Lápis Vermelho.

Sobre os aplausos de todos da comunidade colorida, ele avança para a frente recebendo as homenagens.

Outro jurado anuncia:

-E os três cores que serão retiradas das caixas de lápis de cor, de todo o mundo serão: o lápis cinza, o lápis branco e o lápis preto. Em meio um burburinho geral de medo e insatisfação as duas cores,a cinza e preto tristes e desoladas não podiam compreender tamanha decisão, choraram abraçados se retirando para um canto.

-O vermelho disse contente: bem como estava nas regras do concurso, não temos mais nada a dizer a vocês, e apontou para as três cores humildes num canto da loja, fora daqui!!

Foi quando o papel o lápis branco pediu a palavra dizer:

-Meus amigos antes de irmos, quero que esperemos uma visita muito especial que estamos para receber…

 

 

O PASTORZINHO BEIJAMIM (TEMA: ALTRUÍSMO)

Havia em Belém, um pastorzinho de ovelhas pequeno, franzino, mas muito simpático chamado benjamim, seu pai e seus irmãos eram também pastores, sua mãe cuidava da estalagem onde todos moravam, mas Benjamin vivia triste, por que era o menor de todos, apesar de e não ser o mais novo isso o impedia de pastorear as ovelhas com seus irmãos e seu pai, ficava sempre em casa, ajudando sua mãe em pequenas tarefas, queria guiar as ovelhas pelas pastagens, defendê-las dos lobos vorazes nas montanhas, isso sim é que seria ventura!

Reclamava com seu pai e ele sempre dizia:

-quando você for grande e forte eu deixo

-mas pai, Josué é mais novo q eu e vai todos os dias com o senhor!

Argumentava ele apontando seu irmão grandalhão

-Mas filho, olha o tamanho dele e olha o seu ?! disse o pai com carinho

-Fique aqui e ajude a sua mãe

Benjamim triste abaixou os olhos e foi para dentro de casa

Anoiteceu, e ele dormiu e sonhou, que estava numas pastagens muito verde e ouvia alguém dizer em, voz doce

– Benjamin, você hoje vivera a maior aventura de sua vida !!

-Ele acordou e esfregou os olhos, sem entender nada, mas ficou feliz, quem sabe seu pai tinha mudado de ideia e viria chama-lo pela manha para pastorear com ele e seus irmãos!

Daqui a pouco ouviu vozes lá fora e sua mãe dizendo a um casal, que não tinha vaga na estalagem, mas que podiam ficar no estábulo onde ficavam os animais da família.

Ele levantou e viu que a mulher estava grávida, vinha montada num burrico com o marido lhe ajudando carinhoso.

Sua mãe serviu sopa aos bois e pediu que benjamim os levasse até o estábulo e os alojasse. Foi quando aconteceu o inesperado, uma luz muito grande envolveu tudo; os animais, o feno, o homem, e a mulher com muitas dores deu a luz a um menino de lindos olhos azuis.

Benjamim não sabia o que fazer a sua mãe estava ocupada atendendo a outros afazeres da casa, e ele ali, menino ainda paralisado.

-meu menino, por favor, arrume algumas peles de ovelha e feno ou palha para agasalhar meu filho.

Pediu o homem humildemente

Benjamim correu e providenciou tudo e ainda tirou um pouco de leite das ovelhas para dar a mãe cansada

Parecia ouvir um coro de anjos e crianças cantando linda musica e emocionado chorou.

Só ai sua mãe chegou seu pai seus irmãos e vários outros pastores para conhecer o menino que era Jesus…

Todos felizes ajoelhados oravam agradecidos àquela benção de Deus

-obrigada, meu menino, disse Maria com Jesus nos braços.

-se não fosse você, meu filho teria morrido de frio.

José o olhou e fez um gesto com a cabeça afirmando o mesmo. Seus pais o abraçavam felizes e seus irmãos também. Todos chorando de emoção.

E benjamim olhou aquela criança bem nos olhos e pareceu ouvir a mesma voz doce de seu sonho:

-A grandeza de um homem Benjamin, não esta na sua força física, e sim na bondade de seu coração.

Ele sorriu e entendeu que a maior aventura da vida era amar….